Baristas arrecadam fundos para participar de campeonato mundial

Imprimir

Cerca de cem baristas de todo o mundo se enfrentarão nos dois principais campeonatos internacionais de café, em junho, na Irlanda, e os dois brasileiros que representarão o País na competição lançaram uma campanha de arrecadação de fundos para poder treinar nos equipamentos exigidos e não fazer feio.

Leo Moço e Estela Cotes – que tocam juntos em Curitiba a empresa de torrefação Café do Moço e o Barista Coffee Bar – pedem, em página do crowdfunding Catarse, R$ 38 mil para arcar com balança, moinho, chaleira elétrica, vaporizador de leite, xícaras e outros utensílios, além da passagem para treinar em Londres – a máquina de expresso exigida pela competição não existe no Brasil.

Leo Moço e Estela Cotes, em cena de vídeo no site Catarse (Foto: Reprodução)

A passagem para a Irlanda eles já têm. Foi o prêmio que receberam quando venceram, no ano passado, o Campeonato Brasileiro de Baristas (Leo) e o Campeonato Brasileiro de Preparo de Cafés (Estela), promovidos pela Associação Brasileira de Café e Barista, em Belo Horizonte.

Na Irlanda, entre os dias 22 e 25 de junho, eles representarão o Brasil nas mesmas categorias – World Barista Championship (Leo) e World Brewers Cup (Estela). A melhor colocação já obtida pelo Brasil no campeonato de baristas foi 6º lugar, em 2007, com Sílvia Magalhães, ex-Octavio Café e que hoje tem uma empresa de consultoria e cursos.

A campanha – que estará no ar até o dia 24 de abril no Catarse – arrecadou de fevereiro até agora pouco mais de R$ 5.000 dos R$ 38 mil de que eles precisam. Para justificar o pedido, um vídeo mostra os dois explicando como outros baristas, empresários do café e consumidores podem se beneficiar da visibilidade que o Brasil pode ganhar lá fora com uma boa colocação deles nas competições.

Expresso com leite preparado por Leo Moço (Foto: Fernando Sciarra|Estadão)

Para participar, eles vão levar café 100% paranaense e já começaram a fazer os testes de fermentação, numa parceria fechada com uma universidade para detalhar quais microorganismos atuarão em cada tipo de café a ser servido.

Na competição de baristas, cada competidor prepara expresso, bebida com leite e drinque de assinatura (sem álcool). Já na de preparo de café, os métodos podem ser escolhidos pelo competidor, mas devem ser todos manuais – como Hario, Aeropress, Frenchpress.

Os grãos de café que eles levarão são os mesmos que os colaboradores da campanha vão receber pela contribuição. É possível doar a partir de R$ 50, que voltam em forma de 250g de café. Para quem estiver disposto a ajudar com R$ 2.000, depois de julho vai poder fazer um curso de torra com o próprio Leo.

Utensílios e equipamentos que Leo Moço e Estela Cotes precisam para os campeonatos (Foto: Divulgação)

Fonte: Estadão Paladar (Ana Paula Boni)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *