Avanço na colheita reduz cotações

Imprimir

Após o início efetivo da safra 2010/11 do café conilon no Espírito Santo, as cotações da variedade recuaram significativamente em abril. Segundo colaboradores do Cepea, o Centro de Pesquisa Aplicada, apesar de a colheita ainda estar no início, o volume de grãos novos disponível já é significativo, cenário que tem pressionado as cotações.

Além disso, ainda resta cerca de 20% dos cafés remanescentes da temporada 2009/10 para serem comercializados. Assim, a maior oferta do produto, aliada ao menor interesse por parte dos compradores, tem feito com que as cotações registrem fortes desvalorizações. Daqui em diante, as perspectivas dos colaboradores se mantêm baixas, visto que praticamente não há fundamentos de alta no mercado.

De modo geral, agentes comentam que muitos vendedores estão retraídos devido à baixa remuneração dos grãos. Os preços internos seguem abaixo dos registrados em abril do ano passado, quando a média mensal foi de R$ 200,20 / saca, para o tipo 6 peneira 13 acima (recuo de 21%).

Porém, exportadores argumentam que o café robusta brasileiro é mais caro, quando comparado com o produto de outros países – por exemplo os cafés vietnamitas. Na Bolsa de Londres (Euronext.Liffe), o contrato Julho/10 da variedade finalizou o mês a R$ 1322,00/tonelada, cerca de R$ 138,00/saca de 60 kg. Sendo o tipo 6 peneira 13 acima o café robusta brasileiro destinado à exportação, o grão do Brasil é cerca de R$ 20,00/saca mais caro que os negociados na Bolsa.

Os cafés novos iniciaram a safra 2010/11 sendo comercializados em torno dos R$ 155,00/saca de 60 kg, mas no final de abril, as ofertas foram em torno de R$ 145,00/saca para o tipo 7/8 bica corrida, recuo de cerca de R$ 10,00/saca. Com a queda também nos preços dos remanescentes, o diferencial entre grãos novos e os da safra 2009/10 se estreitou, ficando em torno de R$ 5,00/sc.

Robusta 7/8 recua R$ 16/sc em abril

Após o início da colheita de robusta, as cotações da variedade recuaram fortemente em abril. Isso fez com que as cotações registrassem queda de quase 10%, para o tipo 7/8 bica corrida – tal perda equivale a R$ 16,00/saca de 60 kg. Assim, a média mensal de abril do Indicador CEPEA/ESALQ para o tipo 6 peneira 13 acima foi de R$ 158,23/sc de 60 kg, forte baixa de 8,9% sobre a de março. Para o tipo 7/8 bica corrida, o recuo foi de 9,5% no mesmo período, com média de R$ 152,82/sc 60 kg.

Já na Bolsa de Londres (Euronext.Liffe), o vencimento julho da variedade fechou o dia 30 a US$ 1322,00/tonelada, recuo de 4,8% sobre o primeiro dia útil do mês.

Fonte: Cepea

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *