Artista plástica cria acessórios e objetos utilizando ‘restos’ de café em Guaranésia (MG)

Imprimir
Artista plástica de Guaranésia cria acessórios e objetos utilizando materiais descartáveis do café (Foto: Viola Júnior)
Artista plástica de Guaranésia cria acessórios e objetos utilizando materiais descartáveis do café (Foto: Viola Júnior)

Em um mundo cada vez mais preocupado com a questão do reaproveitamento de materiais descartáveis, muita gente têm se mobilizado para criar novas formas de reutilização. Artesãos têm utilizado inclusive materiais de descarte do café para novas ideias.

Em Guaranésia, uma ecodesigner que já trabalhava com esse conceito, passou a utilizar materiais oriundos da utilização do café no feitio de suas criações. Loli Colpa retornou à terra natal depois de anos vivendo em São Paulo, e conta que descobriu inúmeras utilidades para objetos descartados relacionados ao café.

“Há algum tempo eu já trabalhava com cartonagem de filtros de café, que é um papel que se adapta muito bem ao revestimento para arte final e agora que estou nas montanhas cafeeiras, busquei incorporar mais resíduos e até mesmo os grãos em minhas obras”, conta a artista.

As criações da artesã vão desde bijuterias até bustos para exposição dos assessórios em vitrines de lojas e objetos de decoração. Designer com reconhecimento no exterior, Loli explica que a instantaneidade do mundo atual está fazendo com que o descarte se torne um problema para objetos não bio-degradáveis. Ela diz que seu trabalho, através da arte, é a contribuição que pode dar para a redução de materiais que, mesmo podendo ser reciclados, ainda carregam restos de produtos em seu interior.

Artista plástica utiliza restos de filtros, cápsulas e grãos de café em suas criações (Foto: Viola Júnior)
Artista plástica utiliza restos de filtros, cápsulas e grãos de café em suas criações (Foto: Viola Júnior)

“Nas cápsulas de máquinas de café, um resto fica preso dentro do copinho, então é necessário colocar em tanques de água logo no descarte, deixar secar e abrir uma a uma para desidratar e retirar o resíduo”, diz.

O conceito do eco designer de máxima utilidade é um diferencial para quem adquire os produtos, geralmente são versáteis e podem ser usados em mais de uma forma. Colares que levam grãos de café como adornos também podem ser utilizados como uma tiara por exemplo.

Segundo a artesã, o café que já é tão consumido e valorizado no mundo inteiro, também pode ser fonte de matéria prima e inspiração para se fazer arte.

“O grão de café dá um toque na criação da peça, ela fica única, além de ser muito satisfatório usar esse elemento que nos remete ao local de origem, que são as plantações do Sul de Minas. Estou pensando em utilizar os galhos da arvore do café em mandalas para decoração de ambientes, por exemplo”, revela.

A artista ainda aproveita o papel das caixas dos filtros na confecção de colares que, após a preparação, dão um toque fino às bijuterias. Loli explica que quando decidiu retornar a Guaranésia, se perguntou qual seria sua influência artística na terra que cresceu e não teve dúvidas: ao chegar, olhou no horizonte e lá estavam os cafezais.

“O que a gente não consegue utilizar nem nas bijuterias e nem na decoração podem virar assessórios como bolsas feitas dos antigos sacos de café, e esse material é abundante por aqui”, conta.

Artista plástica utiliza restos de filtros, cápsulas e grãos de café em suas criações (Foto: Viola Júnior)
Artista plástica utiliza restos de filtros, cápsulas e grãos de café em suas criações (Foto: Viola Júnior)

Fonte: G1 Sul de Minas (Por Viola Júnior)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *