Araguari (MG) registra déficit hídrico de 151,4 mm em outubro

Imprimir

O índice pluviométrico do mês de outubro em Araguari, no cerrado de Minas Gerais, foi de 148,0 milímetros, superior à média histórica de 1961 a 1990 para o município, que é de 145,0 mm. Os dados partem de levantamento do Procafé (Programa de Apoio Tecnológico à Cafeicultura), ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e do Fundaccer (Fundação de Desenvolvimento do Café do Cerrado).

Pela equação de Thortwaite & Mather, ao final do mês foi registrado um déficit hídrico de 151,4 mm. A temperatura média no período foi de 21,4C, semelhante à média histórica para o período, que é de 23,8 graus. A temperatura máxima absoluta foi de 32,9C e a mínima de 14,3C. Quanto ao crescimento vegetativo, 2,7 nós por ramo foi o crescimento médio anotado.

Em relação especificamente a doenças, o índice médio de infecção por Ferrugem nas lavouras amostradas de Patrocínio, Araxá e Araguari foi de 2,2%, variando de 0,0% a 5,6%.

A infecção por cercóspora nas regiões de Patrocínio, Araxá e Araguari teve média de 5,4%. Quanto a phoma, 7,0% foi o índice de infecção média. "Deve ser efetuado o monitoramento e controle em locais propícios ao ataque da doença na pós-florada, principalmente em lavouras com potencial produtivo", aponta o Procafé.

O bicho mineiro teve ataque médio de 8,3% de folhas com larvas vivas, devendo-se efetuar o monitoramento de adultos e larvas vivas, principalmente em lavouras novas para verificar a necessidade de controle. O ácaro vermelho teve infecção média de 13,1%, enquanto a broca não teve amostragem, de acordo com o Procafé.

* O Procafé ainda divulgou um ALERTA GERAL para as regiões avaliadas:

"- Pela primeira vez na estação chuvosa os valores de evapotranspiração superaram os de precipitação. Os índices pluviométricos de outubro foram semelhantes à média normal para as três regiões, com médias superiores em 10 mm às normais em Araguari. Porém, as precipitações nas três regiões ainda não foram suficientes para repor o armazenamento de água no solo. Ainda se configuram déficits hídricos consideráveis para as três regiões (149 mm para Araxá, 143 mm para Patrocínio e 151 mm para Araguari). Para os cafeicultores irrigantes que tem seguido as orientações de suprimento de água nos meses anteriores, não é necessário irrigar no início de novembro. Para os que ainda não iniciaram as irrigações, deve-se programar aplicações de lâminas correspondentes à CAD do solo (Capacidade de Água Disponível).

– Os índices de ferrugem e cercospora nas lavouras sem controle amostradas apresentaram inoculo do ciclo anterior. Por se tratar de inoculo residual, o controle da ferrugem é recomendado com aplicação de fungicidas sistêmicos de solo a partir de novembro, e/ou foliares protetivos/sistêmicos conforme evolução epidemiológica.

– Os índices médios de ataque do Bicho Mineiro estão baixos nos talhões amostrados. Deve-se efetuar o monitoramento, principalmente em lavouras novas e controle com inseticidas específicos quando os índices de folhas com larvas vivas ultrapassar os 5%. Em Patrocínio deve-se efetuar o controle devido aos índices mais elevados.

– Em relação à infecção de phoma deve-se efetuar o monitoramento. Mediante ocorrência de florada significativa no início de outubro, para lavouras com potencial produtivo e histórico de ocorrência de phoma, é recomendável efetuar controle com fungicidas específicos na pós-florada.

– Os índices médios de ataque do Ácaro Vermelho estão elevados em Araguari e Araxá. Deve-se efetuar o monitoramento e controle com acaricidas específicos."

Fonte: Agência Safras

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *