Arábica CD com peneiras altas chega a ser vendido a R$600 por saca

Imprimir

A preocupação dos compradores com a falta de lotes de café arábica de melhor qualidade persiste nos últimos dias. De acordo com boletim semanal mais recente divulgado pelo Escritório Carvalhaes, apesar de mais ativo, o mercado continua a procura de lotes finos de café arábica CD com boa porcentagem de peneiras altas, que chegaram a ser comercializados até a 600 reais por saca até o dia 2 de outubro.

Confira, abaixo, o informativo completo da exportadora e corretora de Santos (SP):

Boletim semanal – Santos, sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A crise política e econômica brasileira levou a mais uma semana marcada por forte volatilidade nas cotações do dólar frente ao real, influenciando os preços do café em Nova Iorque. Os problemas climáticos nas regiões produtoras de café no Brasil aumentam a preocupação dos operadores e contribuem com a volatilidade das cotações na ICE Futures US. Os contratos de café com vencimento em dezembro próximo na ICE oscilaram bastante e acumularam ganhos de 160 pontos na semana.

O mercado físico brasileiro mostrou-se ativo, mas a falta de lotes de café arábica de melhor qualidade continua preocupando os compradores. Lotes finos de café arábica CD com boa porcentagem de peneiras altas chegaram a ser comercializados até a 600 reais por saca.

Os preços caem bastante para lotes de café com xícaras mais fracas ou remanescentes de safras anteriores. Os cafeicultores estão assustados com o aumento de custos na produção. Sobem com força os preços de fertilizantes, defensivos, energia elétrica e óleo diesel, levando muitos produtores a não colocarem seus lotes de café no mercado aguardando preços que compensem a alta dos custos e a quebra na produção.

Depois das floradas de setembro as chuvas que caírem nas próximas semanas determinarão o pegamento das flores e o desenvolvimento dos “chumbinhos” nos cafezais brasileiros, definindo o potencial da próxima safra 2016. As temperaturas médias nos últimos dias de inverno e neste início de primavera começam a preocupar os agrônomos.

Até o dia 30 os embarques de setembro estavam em 2.268.602 sacas de café arábica, 320.368 sacas de café conillon, mais 217.972 sacas de café solúvel, totalizando 2.806.942 sacas embarcadas, contra 2.433.510 sacas no mesmo dia de setembro. Até o dia 30, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em setembro totalizavam 3.225.811 sacas, contra 3.004.372 sacas no mesmo dia do mês anterior.

Até o dia 1 os embarques de outubro estavam em 7.156 sacas de café arábica, mais 1.664 sacas de café solúvel, totalizando 8.820 sacas embarcadas, contra 3.186 sacas no mesmo dia de agosto. Até o dia 1, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em outubro totalizavam 99.152 sacas, contra 96.221 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 25, sexta-feira, até o fechamento de sexta-feira, dia 2, subiu nos contratos para entrega em dezembro próximo, 160 pontos ou US$ 2,12 (R$ 8,36) por saca. Em reais, as cotações para entrega em dezembro próximo na ICE fecharam no dia 25 a R$ 644,85 por saca, e dia 2, a R$ 648,32 por saca.

Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em setembro a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 355 pontos.

Escritório Carvalhaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *