Após fortes chuvas em MG e no ES, setor de café começa a avaliar prejuízos

Imprimir
Os produtores de café da Zona da Mata de Minas Gerais e do sul do Espírito Santo começam a avaliar os prejuízos provocadas pelas fortes chuvas dos últimos dias. No Espírito Santo, o agrônomo do Centro Tecnológico do Café (Cetcaf), Frederico de Almeida Daher, afirma que os centros urbanos e regiões próximas à beira de rios foram mais prejudicadas do que o campo, mas ainda é cedo para afirmar que não houve perdas nas lavouras.

Já na região de Manhuaçu, na Zona da Mata mineira, as chuvas prejudicaram as estradas, interrompendo temporariamente o transporte.

Segundo o agrônomo da Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Lajinha (Coocafé), Thiago Mesquita, a água chegou a invadir alguns armazéns de café mas, como as chuvas só pararam na segunda-feira, agricultores ainda estão limpando as instalações atingidas e os prejuízos ainda não foram calculados. Nas lavouras, em contrapartida, não houve danos, em uma análise preliminar.

Embora as chuvas sejam favoráveis aos cafezais nesta época do ano, o volume registrado na última semana poderia provocar perdas na produção.

A previsão para os próximos dias, de acordo com a Somar Meteorologia, é de que a chuva deve permanecer em boa parte do Sudeste e ainda pode chover com acumulados expressivos entre o centro paulista, o Triângulo e o sul mineiro.

Fonte: Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *