Angola: Incentivos aos cafeicultores

Imprimir

Fotografia: Mavitidi Mulaza | Uíge

O Ministério da Agricultura vai apoiar os produtores de café com sementes, plantas e máquinas e criar condições que lhes facilitem o acesso ao crédito, disse, na cidade do Uíge, o ministro do sector.

Pedro Canga, que fez o anúncio no final da visita à Feira Agro-Pecuária e Industrial do Uíge, que encerrou ontem, afirmou que o primeiro incentivo é a distribuição de plantas que estão a ser multiplicadas nas estações do Instituto Nacional de Café.

Outro incentivo, referiu, é a facilitação do crédito à comercialização para permitir que os cafeicultores suportem os custos da produção, paguem aos trabalhadores e comprem materiais para a produção.
Sobre o baixo preço do café, declarou ser "uma preocupação enorme do Executivo" por ser o mesmo que está determinado para o mercado internacional.
Apesar disso, garantiu, está a ser feito tudo está a ser feito para incentivar a produção do café e a sua comercialização.

O ministro salientou que se desenvolvem esforços e se coopera com o mercado internacional para se encontrarem soluções que permitam retomar um preço adequado que satisfaça os produtores e comerciantes, pois o quilo do café é vendido a 50 kwanzas.
Pedro Canga, após visitar os vários pavilhões, disse estar satisfeito com o que vira e ouvira dos expositores.

A agricultura Uíge, acentuou, ganha um novo dinamismo que revela que nos próximos dias a província deve atingir níveis mais aceitáveis na produção de alimentos. Os agricultores, prosseguiu, estão a reabilitar as propriedades e há um grande número de empresários a solicitarem terras para o fomento da agricultura mecanizada e da pecuária.
O governador Paulo Pombolo referiu que a agricultura é dos sectores que merece especial atenção do Governo Provincial, “fundamentalmente neste quinquénio em que a província tem a missão transformar a agricultura de subsistência numa agricultura mecanizada e virada para o mercado nacional".
“Temos uma missão preponderante, a de produzir alimentos para abastecer os grandes centros comerciais e mercados da província em particular edo país em geral e alimentar a população", afirmou.
O governador disse que a Feira Agro-Pecuária e Industrial vai continuar e a ser inovada anualmente para captar mais investimentos nacionais e estrangeiros.

Jornal de Angola / extraito site Peabirus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *