Agrônomo da Emater fala sobre risco real de surto de broca do café no Sul de Minas

Imprimir
A proibição de comercialização do endosulfan no Brasil deixou muitos cafeicultores sem alternativas para o controle da broca nas lavouras. De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater, Luiz Geraldo Rezende Reis, o produtor que até antes gastava cerca de R$50 por hectare agora desembolsa R$1200 com o produto substituto do inseticida. Para o especialista, o produtor rural não está fazendo o controle da praga pelo alto custo que deve ser empregado. Veja mais detalhes na reportagem.

Fonte: EPTV Sul de Minas e G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *