Agricultores têm apoio da Emater-MG no auge da colheita de café

Imprimir

Minas Gerais, de acordo com o "Acompanhamento da Safra Brasileira – Café", de junho de 2015, feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), segue no topo como o maior estado produtor de café do Brasil. Além disso, responde por 50% de toda a produção nacional.

A este cenário de destaque, soma-se o fato de, neste período de junho a julho, Minas viver o auge da colheita de café nas quatro regiões cafeeiras do estado: Sul de Minas (Alfenas, Guaxupé, entre outras), Matas de Minas (Manhuaçu, Espera Feliz, entre outras), Cerrado Mineiro (Patrocínio, Carmo do Paranaíba, Patos de Minas, entre outras) e Chapada de Minas (Capelinha, Angelândia, entre outras).

"Neste momento da colheita dos grãos, praticamente todos os técnicos locais estão envolvidos na orientação e apoio aos agricultores familiares", explica o coordenador técnico estadual da Emater-MG, Julian Silva Carvalho.

Tradicional, o trabalho da Emater-MG consiste, por exemplo, na oferta de dicas sobre o ponto de colheita dos frutos nas lavouras, desta foram, colher o maior número de frutos maduros possíveis, entre outras orientações para utilização e economia de recursos. A procura pela assistência, como observa Julian, já acontece naturalmente nos escritórios. "Os técnicos são demandados e trabalham com os agricultores o ano todo. Recebem, inclusive, uma lista de verificação com recomendações prévias sobre os cuidados que se deve ter na colheita", afirma.

Os interessados em contar com o suporte e orientação para a cafeicultura precisam apenas procurar os escritórios da Emater-MG em seu município. "A Emater-MG está pronta para atender os agricultores, com atenção a variados tipos de demanda", aponta Julian. O trabalho junto ao público também envolve visitas in loco, reuniões com grupos de agricultores familiares, atendimentos individuais nas propriedades, programa de qualidade de café, orientações sobre a cadeia produtiva, crédito rural, entre outros destaques. "Estamos preparados para dar o suporte aos agricultores para auxiliá-los a serem sustentáveis na atividade", finaliza o coordenador técnico.

Café em Minas Gerais

O Brasil é o maior produtor mundial de café, com expectativa, para 2015, de produção de cerca de 52 milhões de sacas. Minas Gerais, maior estado produtor, conta com aproximadamente 1.600 propriedades certificadas e exporta para mais de 70 países, tendo como principais destinos: Alemanha (25% da produção), Estados Unidos (18,2%), Bélgica (9,6%) e Japão (9,1%). A safra prevista para este ano é de 23,3 milhões de sacas.

A receita mineira no quadrimestre de janeiro a abril foi de US$ 1,34 bilhão, com 6,57 milhões de sacas exportadas no mesmo período. O café, em Minas, neste intervalo, respondeu por 57,35% das exportações do agronegócio. Somente em 2014, o estado exportou cerca de 20,8 milhões de sacas, num total movimentado de US$ 4,115 bilhões.

Confira, a seguir, outros números do setor disponibilizados pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa):

Principais áreas produtoras (Estimativa para 2015):

· Sul de Minas e Centro Oeste – produção de 10,5 milhões de sacas (área colhida de 477 mil hectares);

· Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste – produção de 5,004 milhões de sacas (área colhida de 170 mil hectares);

· Zona da Mata, Rio Doce e Central – produção de 7,12 milhões de sacas (área colhida de 293 mil hectares);

· Norte de Minas, Jequitinhonha e Mucuri – 768 mil sacas (área colhida de 34 mil hectares).

Principais cidades produtoras (Estimativa para 2015):

· Patrocínio, no Alto Paranaíba, com 850 mil sacas;

· Araguari, no Triângulo, com 450 mil sacas;

· Serra do Salitre – no Alto Paranaíba com 400 mil sacas;

· Manhuaçu, na Zona da Mata, com 366 mil sacas;

· Nova Resende, no Sul de Minas, com 330 mil sacas de café.

Fonte: Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *