Agricultores do Sul de Minas reclamam dos preços baixos do café arábica

Imprimir

Na fazenda de Antonio de Souza, em São Sebastião do Paraíso, sul de Minas Gerais, os apanhadores de café correm contra o tempo. Dos 40 hectares, 10 ainda não foram colhidos.

Cerca de 80% do café produzido no sul de Minas Gerais já foi colhido, mas faltando menos de um mês para o fim da colheita, ainda tem muito café nos pés. O motivo do atraso na colheita é a chuva, que este ano também prejudicou a qualidade do grão. Ele está menor e pesa menos.

Hoje a saca do café arábica é vendida por, em média, R$ 280, valor considerado baixo pelos produtores.

Na fazenda de Eder José Giacchero a colheita está no final. Boa parte do café já está secando, mas apenas 700 sacas foram vendidas, o que representa menos de 20% da produção.

Eder agora está estocando o produto na esperança de preços melhores no futuro. “Precisamos de uma melhora porque nesses níveis, grande parte dos produtores não consegue manter as lavouras”, diz.

Fonte: Globo Rural 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *