Adiantadas, vendas de café 21/22 do Brasil atingem 60% do total, diz Safras

Imprimir
A comercialização de café da temporada 2021/22 do Brasil atingiu 60% do total projetado, avanço de sete pontos ante o levantamento do mês anterior, um índice também adiantado na comparação com os 58% do mesmo período do ano passado, apontou nesta quinta-feira a consultoria Safras & Mercado.

O fluxo de vendas também está bem acima da média dos últimos anos para o período (48%), destacou a Safras.

Com isso, a consultoria estima que os produtores já negociaram 34 milhões de sacas, de um total estimado em 2021/22 em 56,5 milhões de sacas.

“Embora a disparada nas cotações tenha sido um aditivo poderoso à venda, a safra menor e as dúvidas em relação ao potencial produtivo da safra 2022 serviram como um forte freio às negociações”, disse o consultor Gil Barabach, em nota.

“O fluxo de vendas de café no mercado físico brasileiro anda bastante errático”, acrescentou ele.

A comercialização de arábica alcança 58% da safra 2021, “perdendo um pouco de ritmo”. Em igual período do ano passado estava em 60%.

Mesmo assim, as vendas de arábica continuam bem acima da média para o período, que gira em torno de 46% da safra.

“O percentual alto de comprometimento antecipado por parte dos produtores, especialmente na região do Cerrado e Sul de Minas e na Mogiana paulista justificam essa performance”, afirmou.

Café

As vendas de conilon seguem em destaque, em linha com a boa procura da indústria local. E o preço do conilon acima de 700 reais a saca serviu de impulso à venda, trazendo mais produtores ao mercado, segundo nota da Safras.

Com isso, a comercialização de conilon chega a 63% da safra BR-21, avançando 8 pontos percentuais em relação ao mês anterior. O indicador supera “com folga” os 55% vendidos em igual período do ano passado e continua bem acima dos 54% em média dos últimos cinco anos para o mês de agosto.

Fonte: Reuters