Açúcar e café mantêm alta em NY por clima para safras no Brasil

Imprimir

Os contratos futuros do café arábica e do açúcar bruto eram negociados nas máximas de muitos meses nesta terça-feira (25) na bolsa de Nova York (ICE Futures), sustentados por deterioração de perspectiva de safras do Brasil, o principal produtor das duas culturas.

"Nós nunca tivemos esta situação de seca prolongada durante o pico da temporada chuvosa em janeiro/fevereiro", disse um analista europeu.

O contrato maio do café arábica subia 1,96%, para US$ 1,7980 por libra-peso às 14h15 (horário de Brasília), pouco abaixo da máxima de US$ 1,8125 testada na sessão.

Os preços do café arábica estão atualmente cerca de 50% acima dos níveis de um mês atrás, quando o Brasil esperava produzir uma safra de 51 milhões a 60 milhões de sacas de 60 kg.

"Nós poderemos perder facilmente 5% a 10% de safra", disse um analista.

"Março é o último mês da estação chuvosa. Se tivermos um março seco, então poderia ser uma catástrofe."

Negociantes e analistas disseram que o clima seco poderá impactar não apenas a safra 2014/2015, mas também a produção de 2015/2016.

"Chuva neste momento do ano não ajuda apenas no desenvolvimento das cerejas nas árvores, elas também geram ramos para o crescimento da safra seguinte", disse o analista.

Relatório da Somar Meteorologia indica que a parte central e norte de Minas Gerais, bem como Espírito Santo, seguem nessa semana com pouca chance de chuva.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *