Açúcar bruto e café arábica avançam com investidores de olho no petróleo e no real

Imprimir
Os preços do açúcar bruto e do café arábica na ICE avançaram nesta terça-feira, com investidores avaliando os últimos movimentos do real e com reflexos de um rali nos preços do petróleo, desencadeado pela flexibilização dos “lockdowns” em alguns países.

AÇÚCAR

* O contrato julho do açúcar bruto fechou em alta de 0,38 centavo de dólar, ou 3,7%, a 10,78 centavos de dólar por libra-peso, depois de recuar 5,2% na segunda-feira, quando devolveu metade dos ganhos da semana passada.

* Os preços do petróleo voltaram a subir diante de expectativas de uma recuperação no tráfego de veículos e na demanda por combustíveis, à medida que alguns países da Ásia e da Europa, bem como diversos Estados norte-americanos, começam a flexibilizar os “lockdowns” causados pelo coronavírus.

* Um operador disse que ainda será visto se o relaxamento das restrições e os cortes de produção de petróleo terão grande impacto sobre a fabricação de etanol no Brasil, embora isso deva ao menos sustentar o açúcar ao redor de 10,50 centavos.

* O Brasil deve produzir 35,3 milhões de toneladas de açúcar em 2020/21, alta de 18,5% em relação à safra anterior, à medida que usinas alocam mais cana para a fabricação do adoçante, em detrimento do etanol, estimou a Conab.

* O açúcar branco para agosto avançou 15,60 dólares, ou 4,6%, para 357,70 dólares por tonelada.

CAFÉ

* O contrato julho do café arábica fechou em alta de 3,45 centavos de dólar, ou 3,2%, a 1,1065 dólar por libra-peso, após registrar na semana passada o menor nível em quase um mês e meio.

* A Organização Internacional do Café (OIC) vê o mercado global de café passando para um excedente de 1,95 milhão de sacas de 60 quilos na temporada 2019/20, devido ao impacto dos “lockdowns” por coronavírus, ante previsão anterior de um déficit de 474 mil sacas.

* As exportações globais de café caíram 3,7% em março em relação a igual período do ano anterior, para 11,06 milhões de sacas de 60 kg, acrescentou a OIC.

* As exportações de café da Costa Rica avançaram 11,2% em abril na comparação com mesmo mês de 2019, segundo dados oficiais. Entre outubro e abril, os embarques do produto do país acumulam queda de menos de 1%.

* O café robusta para julho avançou 3 dólares, ou 0,3%, para 1.200 dólares por tonelada.

Font: Reuters (Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *