22ª edição da Expocafé deixa visitante e expositor satisfeito

Imprimir
O último dia da Expocafé foi de intenso movimento de visitantes e também de muitos negócios. No estande da Minasul, vendedores se empenharam o dia inteiro para atender da melhor forma o maior número possível de interessados em bater o martelo para as últimas compras, aproveitando o pacote de facilidades criado especialmente para a Expocafé.

Produtores acordaram cedo com o intuito de fazer bons negócios. Entre eles, o cooperado da Minasul Yoshitaka Nagayama, que viajou do município de Madre de Deus de Minas/MG para visitar a Expocafé. Ele explica que, mesmo recebendo com assiduidade a visita de um técnico da Minasul, quis conferir de perto as vantagens oferecidas durante a feira para a compra de insumos e máquinas. Depois de explanar suas demandas, fez e refez as contas com o atendente Rafael Branquinho, e decidiu pela compra de todos os tipos de insumos que irá precisar para as suas culturas de verão: trigo, feijão, milho e soja. Para ele, um sossego que permite focar no que de fato interessa agora: o preparo das áreas de cultivo que receberão os tratos culturais, as sementes e a adubação.

Comprar agora, conforme ele, é a segurança de que os insumos chegarão em tempo hábil, sem atraso. “A lavoura não pode esperar. Já tive muito problema com atrasos na entrega, que resultam em grandes prejuízos”, reclama. Desde que optou pelo atendimento de um técnico da Minasul, cessaram esses problemas. “Nunca mais tive que esquentar a cabeça com a entrega de insumos”, fala.

Para o vendedor Antonio Neto uma peculiaridade da Expocafé deste ano foi a grande busca por insumos e até de máquinas por parte de produtores de cereais. “Estes produtores sabem que a Expocafé sempre oferece algumas vantagens extras de descontos e prazos, e vieram aproveitar. Muitos cerealistas compraram tudo que precisam para safras que irão plantar bem mais à frente”, diz.

Os produtores de café, por sua vez, também não desperdiçaram as oportunidades de fazer travas com o produto no mercado futuro e adquirir produtos com pagamentos acertados para até duas ou três safras adiante. “Há uma perspectiva muito boa para estas negociações no mercado futuro, porque os produtores estão conseguindo amarrar negócios por preços de café bem melhor do que no presente momento, ou seja, eles estão adquirindo produtos que precisam agora para pagar a partir do ano que vem, e com o café bem mais valorizado que no dia de hoje”, explica.

A mesma percepção foi verificada por representantes da empresa Mahindra, parceira da Minasul. “Os produtores estão aproveitando as vantagens da compra pelo sistema barter e levando, principalmente, peças para as suas máquinas que estão em pleno vapor neste período de colheita”, informa o coordenador de vendas da marca, Márcio Yamamoto, que veio de São Paulo para acompanhar a Expocafé. Ele comentou ainda o que para ele foi um fator surpresa. “A quantidade de mulheres interessadas nos tratores e peças, fazendo muitas perguntas técnicas sobre as máquinas, foi um diferencial desta Feira. Nunca atendi tantas mulheres tão interessadas. Elas vieram atrás de máquinas para as suas demandas e mostraram que entendem realmente o que estão comprando”, mencionou.

A chuva fina que chegou no meio da tarde, mas não impediu o ir e vir de milhares de visitantes que movimentaram a Expocafé no último dia de evento. Os números e o balanço final ainda não haviam sido fechados no fim da tarde, mas a grande maioria dos expositores falou em um aumento de vendas relacionado ao ano passado.

Fonte: Sakey Comunicação via Ascom Minasul

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *