2011: cresce receita com exportações de café verde, T&M e solúvel

Imprimir

No mês, a exportação alcançou o valor recorde de US$ 23,211 bilhões. Sobre maio de 2010, as exportações registraram aumento de 25,2%. Já em relação a abril de 2011, decresceram 0,6%, pela média diária, conforme relatório da Secretaria de Produção e Agroenergia, do Ministério da Agricultura, com base em números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

As importações totalizaram valor recorde de US$ 19,682 bilhões. Sobre igual período anterior, as importações registraram crescimento de 31,8%, e sobre abril de 2011, retração de 7,2%, pela média diária.

No período, a corrente de comércio registrou cifra recorde de US$ 42,893 bilhões. Sobre igual período do ano anterior, a expansão da corrente de comércio foi de 28,1%, pela média diária.

O saldo comercial do mês registrou superávit de US$ 3,529 bilhões, valor 2,3% superior ao registrado em maio de 2010 (US$ 3,448 bilhões).

Café verde

A receita cambial com exportação de café verde apresentou elevação de 79,08% nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2010. O faturamento alcançou US$ 3,047 bilhões, ante US$ 1,702 bilhão. O volume embarcado no período teve alta de 12,48%, para 738.008 toneladas, ante 656.132 toneladas nos primeiros cinco meses de 2010.

O preço médio de exportação teve elevação de 59,21% no período, de US$ 2.593 por tonelada para US$ 4.129 por tonelada. A receita cambial cresceu entre todos os 15 principais destinos do café verde brasileiro até maio. Os destaques de alta, em termos porcentuais, foram: Coreia do Sul (140,14%), Finlândia (125,58%), Noruega (121,67%) e Bélgica (111,80%).

O principal comprador de café verde brasileiro até maio, em volume, foi a Alemanha, que apresentou aumento de 9,21% ante os primeiros cinco meses de 2010. O segundo principal importador foram os Estados Unidos (alta de 20,37%). Entre os principais compradores, teve crescimento porcentual significativo o volume embarcado para Coreia do Sul (43,83%), Bélgica (38,06%) e Países Baixos (36,90%). Em termos porcentuais, houve queda no volume vendido para apenas um destino: França (-2,19%).

Torrado e moído

A receita cambial com exportação brasileira de café torrado e moído apresentou elevação de 3,28% nos primeiros cinco meses do ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Os industriais faturaram US$ 9,348 milhões, em comparação com US$ 9,051 milhões em 2010.

O País exportou no período 1.464 toneladas do produto, com redução de 20,95% em relação ao ano anterior (1.852 t). O preço médio da tonelada no período ficou em US$ 6.385/t, ante US$ 4.887/t, representando elevação de 30,65%.

Segundo o relatório, os Estados Unidos foram o principal destino do café processado brasileiro, com redução de 7,14%, em termos de receita. O segundo principal mercado é a Itália (+33,83%), seguida de Japão (+62,32%) e Argentina (-9,66%).

Solúvel

A receita cambial com exportação de café solúvel apresentou elevação de 17,41% nos primeiros cinco meses do ano, em relação ao mesmo período de 2010. Os industriais faturaram US$ 240,469 milhões, em comparação com US$ 204,819 milhões entre janeiro e maio do ano passado.

O País exportou no período 31.019 toneladas, com aumento de 4,08% em relação a 2010 (29.804 t). O preço médio da tonelada ficou em US$ 7.752/t, ante US$ 6.872/t em 2010, representando elevação de 12,81%.

Segundo o relatório, os Estados Unidos foram o principal do destino do café processado brasileiro nos primeiros cinco meses do ano, com elevação de 28,95% em termos de receita sobre 2010. Mas também foi significativo o aumento da receita, em termos porcentuais, para Finlândia (445,45%), Coreia do Sul (158,87%) e Indonésia (110,55%). Entre os 15 principais destinos do café processado brasileiro, apenas três países tiveram redução em receita cambial. O desempenho foi negativo para Reino Unido (-58,20%), Bélgica (-39,15%) e Ucrânia (-20,62%).

As informações são do MDIC e Agência Estado, resumidas e adaptadas pela Equipe CaféPoint.

Fonte: CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *